Minas 300 anos Viagem

Conhecendo a Estrada Real

Como parte das comemorações dos 300 anos de Minas Gerais, que acontecerá no fim do ano, iremos compartilhar com vocês alguns detalhes da cultura, história, tradições, manias, receitas do nosso “país” Minas Gerais.

Começamos com A ESTRADA REAL!

A Estrada Real é a maior rota turística do país. São mais de 1.630 quilômetros de extensão, passando por Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Hoje, ela resgata as tradições do percurso valorizando a identidade e as belezas de cada região.

A sua história surge em meados do século XVII, quando a Coroa Portuguesa decidiu oficializar os caminhos para o trânsito de ouro e diamantes de Minas Gerais até os portos do Rio de Janeiro. As trilhas que foram delegadas pela realeza ganharam o nome de Estrada Real.

São quatro caminhos que compõe a Estrada Real: Caminho dos Diamantes, Caminho Novo, Caminho Velho e Sabarubuçu.

Caminhos dos Diamantes

Em 1729, as pedras preciosas de Diamantina ganharam destaque na economia da colônia. O Caminho dos Diamantes se destaca por suas belezas naturais de tirar o fôlego e seus recantos repletos de histórias, além de possuir uma gastronomia maravilhosa.

São 395 km percorridos, as principais cidades são: Diamantina, Serro, Mariana e Ouro Preto.

Caminho Novo

O Caminho Novo foi aberto para ser uma alternativa mais rápida e fácil ao Caminho Velho. Ele guarda uma série de elementos da época das bandeiras e das primeiras explorações da região.

São 515 km de traçado, as principais localidades: Lavras Novas, distrito de Ouro Preto, Juiz de Fora, Paraíba do Sul e Petrópolis.

Caminho Velho

Foi o primeiro caminho oficial da Coroa Portuguesa para ligar o litoral fluminense à região produtora de ouro no interior de Minas Gerais. Na época, no século XVII, o percurso levava 60 dias para ser feito pelos tropeiros a cavalo.

São 710 quilômetros, principais cidades: Tiradentes, São João del Rei, Caxambu e Paraty.

Caminho Sabarubuçu

Há 300 anos os viajantes avistaram um brilho no topo da Serra da Piedade e imaginaram ser ouro. Para chegar lá, criaram uma via alternativa, que originou o Caminho Sabarabuçu. Mas tiveram uma surpresa: o que refletia a luz solar era, na verdade, minério de ferro.

O caminho percorre 160 km, principais cidades: Barão de Cocais, Caeté, Sabará, Glaura.

SINALIZAÇÃO

Foto: Carla Silva

Nos eixos principais dos caminhos – Velho, Novo, dos Diamantes e Sabarabuçu – estão situados marcos da Estrada Real. Eles estão sempre presentes onde há pontos de bifurcação ou em locais que geram dúvidas ao viajante sobre a continuação da trilha.


Mais informações http://www.institutoestradareal.com.br/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: