Depois da Quarentena Minas 300 anos Viagem

10 principais Parques Estaduais de Minas Gerais

Você sabia que Minas Gerais tem 38 Parques Estaduais?

Os Parques Estaduais tem como objetivo básico a preservação de ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental, de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico.

Parque Estadual é uma categoria de unidades de conservação que se destaca pela grande beleza cênica e relevância ecológica. Os parques são criados com a finalidade de preservar a fauna e flora nativa, principalmente as espécies ameaçadas de extinção, os recursos hídricos (nascentes, rios, cachoeiras), as formações geológicas; conservar valores culturais, históricos e arqueológicos e promover estudos e pesquisas científicas, educação e ambiental e turismo ecológico.

Informações e fotos do Instituto Estadual de Florestas

Listamos para vocês os conhecer 10 parques estaduais de Minas! Escolhemos esses por terem estrutura para receber turistas.

Parque Estadual do Rio Doce

View this post on Instagram

#300anosMinas – Hoje vamos conhecer o 🌱🌳 Parque Estadual do Rio Doce! Ele se estende pelos municípios de Dionísio, Marliéria e Timóteo. São 35.976 hectares e o bioma é a Mata Atlântica. O Parque Estadual do Rio Doce é primeira unidade de conservação criada no Estado de Minas Gerais e uma das primeiras do país, além de ser considerada a maior área contínua de mata atlântica preservada no Estado, detém rica biodiversidade e árvores centenárias. Os rios Doce e Piracicaba são os principais corpos d’água da região. E o principal bioma é a mata Atlântica, que adentra regiões com florestas altas e estratificadas, sendo possível encontrar o jequitibá, a garapa, o vinhático e a sapucaia. Também abriga espécies raras e ameaçadas de extinção tanto da flora como da fauna. As lagoas abrigam uma grande diversidade de peixes, que servem de instrumento para pesquisas sobre a fauna aquática nativa, com espécies como bagre, cará, lambari, cumbaca, manjuba, piabinha, traíra, entre outras. Fotos e informações: @iefnoroestemg #popfino _______________________________________________________ 🔺Os 300 anos de Minas Gerais serão completados em 2 de dezembro. Como faltam palavras, serão 300 fotos, uma por dia até o dia do aniversário. Participe, mande a sua pra gente. Você tem 586,5 quilômetros quadrados pra escolher um cantinho.

A post shared by Popfino (@pop.fino) on

Parque Estadual do Limoeiro

View this post on Instagram

#300anosMinas – Hoje vamos conhece o 🌳🌱Parque Estadual Mata do Limoerio! Ele está localizado no município de Itabira. Os biomas que compõe são Cerrado e Mata Atlântica. O nome da unidade remete à Fazenda do Limoeiro, originalmente na área do parque, e que hoje não existe mais. Na região, podem ser observados fragmentos de mata Atlântica e do cerrado, o que lhe confere grande diversidade biológica. Já foram identificadas na área pelo menos três espécies ameaçadas de extinção: a samambaiaçu, a braúna-preta e o jacarandá-caviúna (uma das mais valorizadas madeiras brasileiras. Entre as espécies da fauna, já foram observadas espécies raras, como o rato do mato e o gambá-de-orelha-branca, presentes somente em áreas de Mata Atlântica, além de outras de importância para conservação. Localizado bem próximo à área urbana do distrito de Ipoema, o Parque foi oficialmente aberto à visitação no final de 2013 e, desde então, sua visitação tem sido crescente, acompanhada da diversificação de seus atrativos. A região está localizada na serra do Espinhaço, a cerca de 7 km do Parque Nacional da Serra do Cipó. Foto: @iefnoroestemg #popfino _______________________________________________________ 🔺Os 300 anos de Minas Gerais serão completados em 2 de dezembro. Como faltam palavras, serão 300 fotos, uma por dia até o dia do aniversário. Participe, mande a sua pra gente. Você tem 586,5 quilômetros quadrados pra escolher um cantinho.

A post shared by Popfino (@pop.fino) on

Parque Estadual Serra do Brigadeiro

Parque Estadual do Rio Preto

View this post on Instagram

#300anosMinas Hoje vamos conhecer o 🌳Parque Estadual do Rio Preto. Ele está localizado no município de São Gonçalo do Rio Preto. Tem área de 12.184 hectares e o bioma é o Cerrado. A origem do nome do Parque Estadual do Rio Preto é a existência de rio com nome homônimo que atravessa o seu interior. O rio Preto é um afluente da margem esquerda do rio Araçuaí que, por sua vez é do (Jequitinhonha). A área do Parque abrange todas as suas nascentes, até o início de seu curso médio, a partir do vilarejo de Santo Antônio. Ao longo do percurso no interior do Parque, esse rio proporciona várias configurações da paisagem, que definem locais para a visitação pública e potencial turístico. Geograficamente, está inserido no complexo da Serra do Espinhaço, região alta do Vale do Jequitinhonha e suas formações geológicas são características deste sistema, com presença de diversos afloramentos rochosos. Como consequência disso tem como principais destaques: a beleza cênica de suas paisagens, marcadas por imensos afloramentos rochosos; as inúmeras cachoeiras e piscinas naturais, como a Cachoeira dos Crioulos e a Cachoeira da Sempre-Viva; e, ainda, grande importância na proteção de nascentes da bacia do rio Jequitinhonha e de diversas espécies de fauna ameaçadas. Fotos e info: @iefnoroestemg #popfino #parqueestadualdoriopreto _______________________________________________________ 🔺Os 300 anos de Minas Gerais serão completados em 2 de dezembro. Como faltam palavras, serão 300 fotos, uma por dia até o dia do aniversário. Participe, mande a sua pra gente. Você tem 586,5 quilômetros quadrados pra escolher um cantinho.

A post shared by Popfino (@pop.fino) on

Parque Estadual Serra do Rola Moça

View this post on Instagram

#300anosMinas – Nossa parada de hoje é bem pertinho de BH, no Parque Estadual da Serra do Rola Moça! O parque abrange os municípios de Belo Horizonte, Brumadinho, Nova Lima e Ibirité. Tem areá de 4.006 hectares e é formado pelos biomas: Cerrado e Mata Atlântica, com ocorrência de Campo Rupestre Ferruginoso. O Parque Estadual da Serra do Rola-Moça é dotado de uma riqueza natural exuberante. Ao passear pelo Parque, você terá a oportunidade de apreciar paisagens de beleza singular e uma rica biodiversidade constituída por uma série de espécies da fauna, como o lobo-guará, onça parda, cachorro-do-mato, veado campeiro, carcará e várias outras espécies de aves, bem como da flora, como a canela-de-ema, espécie símbolo do Parque, várias espécies de orquídeas, bromélias e cactáceas. Os seis mananciais existentes no Parque, são responsáveis pelo abastecimento de água de parte da Região Metropolitana de Belo Horizonte. São eles: Rola-Moça, Taboões, Bálsamo, Catarina, Barreiro e Mutuca. Todos declarados pelo Governo Estadual como Áreas de Proteção Especial (APE). Fotos: @iefnoroestemg #serradorolamoça #popfino _________________________________ 🔺Os 300 anos de Minas Gerais serão completados em 2 de dezembro. Como faltam palavras, serão 300 fotos, uma por dia até o dia do aniversário. Participe, mande a sua pra gente. Você tem 586,5 quilômetros quadrados pra escolher um cantinho.

A post shared by Popfino (@pop.fino) on

Parque Estadual do Sumidouro

Parque Estadual do Ibitipoca

View this post on Instagram

#300anosMinas – Nossa parada pelos parques estaduais chega ao Parque Estadual do Ibitipoca! Está localizado nas cidades de Lima Duarte e Santa Rita do Ibitipoca. É formado pelo bioma Mata Atlântica e tem área de 1.488 hectares. ‘Ibitipoca’ é uma palavra tupi-guarani que significa “Serra que estoura” ou “Serra estourada”, devido à grande incidência de descargas elétricas (raios) ou, também, à grande quantidade de grutas. É um dos parques de minas mais visitados no Estado e um dos mais reconhecidos do Brasil e uma das principais atrações turísticas da região. Localizado na Serra do Ibitipoca, uma ramificação da Serra da Mantiqueira, o Parque Estadual do Ibitipoca é divisor das águas das bacias dos rios Grande e Paraíba do Sul e possui uma vegetação composta por mata atlântica, pelos campos rupestres em afloramentos rochosos e matas ciliares ao longo dos cursos d’água. Cactos, bromélias, orquídeas, samambaias e liquens são característicos da Serra do Ibitipoca. As candeias existem em abundância, quase sempre cobertas com um líquen esverdeado chamado barba-de-velho. O Parque possui vários córregos e riachos que formam atrativos como piscinas naturais e cachoeiras. A correnteza forte chega a fazer escavações que formam passagens subterrâneas, como por exemplo, a Ponte de Pedra. As grutas formadas em rochas quarzíticas integram a paisagem do Parque. A fauna é rica, com a presença de espécies ameaçadas de extinção, como a onça parda, o lobo guará e o primata sauá. Aparecem também o macaco barbado (bugio), o papagaio-do-peito roxo, o coati, o andorinhão-de-coleira falha, entre outros. Dentre os anfíbios, encontra-se uma espécie de perereca que foi identificada pela primeira vez na região, a Hyla ibitipoca. #ibitipoca #popfino Info e fotos : @iefnoroestemg 🔺Os 300 anos de Minas Gerais serão completados em 2 de dezembro. Como faltam palavras, serão 300 fotos, uma por dia até o dia do aniversário. Participe, mande a sua pra gente. Você tem 586,5 quilômetros quadrados pra escolher um cantinho.

A post shared by Popfino (@pop.fino) on

Parque Estadual da Lapa Grande

View this post on Instagram

#300anosMinas Vamos conhecer o Parque Estadual da Lapa Grande! Ele fica na cidade de Montes Claros, formado pelo bioma Cerrado e tem área 15.360 hectares. O parque localiza-se no regional Alto Médio São Francisco, sendo importantíssimo para o município, pois abriga mananciais responsáveis pelo abastecimento de aproximadamente 35% de sua população. . A altitude do parque varia entre 650 e 1.009 metros, e o relevo é caracterizado por maciços calcários, dolinas e sumidouros. O curso d’água principal é o córrego Lapa Grande, também chamado de córrego dos Bois e córrego Pai João. . Dentre as mais de 50 cavidades registradas no parque, destaca-se a Lapa Grande, pelo fato de ser uma das maiores do Estado, com 2,2 quilômetros de extensão, e por sua importância histórico-cultural. Nos primórdios da história de Montes Claros, a Lapa Grande já possuía este nome e era conhecida e frequentada pelos moradores da região. O complexo de sistema cárstico que abrange parte da área apresenta em sua extensão afloramentos rochosos de calcário, chegando, em alguns casos, a mais de 1.000 metros de altitude. Nestes afloramentos, predominam diversas espécies de cactos e de bromélias. Fotos e info: @iefnoroestemg ______________________________ 🔺Os 300 anos de Minas Gerais serão completados em 2 de dezembro. Como faltam palavras, serão 300 fotos, uma por dia até o dia do aniversário. Participe, mande a sua pra gente. Você tem 586,5 quilômetros quadrados pra escolher um cantinho.

A post shared by Popfino (@pop.fino) on

Parque Estadual do Itacolomi

View this post on Instagram

#300anosMinas – Nossa viagem pelos parques estaduais de Minas Gerais chega ao Parque Estadual do Itacolomi. Abrange os municípios de #OuroPreto e #Mariana. . Formado pelo bioma Mata Atlântica e tem área de 7.543 hectares. . O parque abriga o Pico do Itacolomi, com 1.772 metros de altitude, que era ponto de referência para os antigos viajantes da Estrada Real, como o bandeirante paulista Antônio Dias, que o chamava de “Farol dos Bandeirantes”. A palavra itacolomy vem da língua tupi e significa “pedra menino”, os índios viam o pico como o “filhote” da montanha ou “pedra mãe”. . A Fazenda São José do Manso, no interior da unidade, era um pólo produtor de chá na primeira metade do século 20, e um exemplar da arquitetura colonial deixado pelos bandeirantes em Minas. . Suas matas predominam as quaresmeiras e candeias ao longo dos rios e córregos. Nas partes mais elevadas, aparecem os campos de altitude com afloramentos rochosos, onde se destacam as gramíneas e canelas de emas. Abriga muitas nascentes, escondidas nas matas, que deságuam, em sua maioria, no rio Gualaxo do Sul, afluente do rio Doce. Os mais importantes são os córregos do Manso, dos Prazeres, Domingos e do Benedito, o rio Acima e o ribeirão Belchior. Fotos e infos: @iefnoroestemg _____________________________ 🔺Os 300 anos de Minas Gerais serão completados em 2 de dezembro. Como faltam palavras, serão 300 fotos, uma por dia até o dia do aniversário. Participe, mande a sua pra gente. Você tem 586,5 quilômetros quadrados pra escolher um cantinho.

A post shared by Popfino (@pop.fino) on

Parque Estadual Nova Baden

View this post on Instagram

#300anosminas – Chegamos ao último Parque Estadual ! ⛰⛺️O Parque Estadual Nova Baden está situado na Serra das Águas de Lambari, parte da Serra da Mantiqueira, e foi criado com objetivo de preservar importantes nascentes de águas minerais da cidade, que faz parte do Circuito Mineiro das Águas. Encontra-se inserido na sub-bacia do Ribeirão do Melo, na bacia hidrográfica do Rio Grande. A área foi protegida em 1974, com a criação da Reserva Biológica de Nova Baden, sendo alterada sua categoria de manejo para Parque em 27 de setembro de 1994. A região possui rica diversidade de espécies de répteis, mamíferos, aves, anfíbios e insetos. Inclusive, uma nova espécie de percevejo foi identificada em um local muito úmido e, em homenagem ao parque, a espécie recebeu o nome de Pachymeroceroides novabadensis. Devido à sua grande diversidade de espécies, o parque é um local apropriado para observação de aves. A vegetação da Mata Atlântica está em excelente estado de conservação e pode ser apreciada nesse parque, cujo belo cenário é formado por jacarandás, jequitibás, quaresmeiras, cedros, araucárias (pinheiro brasileiro), musgos, líquens, bromélias, perobas e palmitos-juçara e orquídeas. O nome do Parque é uma referência ao alemão Américo Werneck, da cidade de Baden-Baden que, no século 19, instalou-se na região. Pioneiro em questões ambientais, o dr. Werneck era fruticultor e desenvolveu vários projetos de aproveitamento racional das estâncias hidrominerais. Foi o autor do projeto do Cassino de Lambari. Fotos e infos: @iefnoroestemg _________________________________ 🔺Os 300 anos de Minas Gerais serão completados em 2 de dezembro. Como faltam palavras, serão 300 fotos, uma por dia até o dia do aniversário. Participe, mande a sua pra gente. Você tem 586,5 quilômetros quadrados pra escolher um cantinho.

A post shared by Popfino (@pop.fino) on

300 Anos Minas

Os 300 anos de Minas Gerais serão completados em 2 de dezembro de 2020. Como faltam palavras, serão 300 fotos, uma por dia até o dia do aniversário. Participe, mande a sua pra gente. Você tem 586,5 quilômetros quadrados pra escolher um cantinho. USE A HASHTAG #300ANOSMINAS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: