#Museusporai Museo de la Patagonia – Argentina

Nesta semana vamos conhecer um pequeno museu na Patagônia Argentina.

A jornalista Daniela Maciel nos contou como foi a visita.

“O Museo de la Patagonia, que fica na Praça da Prefeitura, não é grande, mas merece ser visitado. A museologia é um tanto ultrapassada, mas nos conta das belezas naturais argentinas, que não são poucas, e, principalmente, da história da Patagônia. Entender como o povo nativo domou as condições inóspitas do lugar e criou uma civilização própria é emocionante. O Lago Nahuel Huapi é a grande fonte de vida de toda a região e guia os caminhos dos habitantes de San Carlos.”

SOBRE

O Museu da Patagônia foi inaugurado pela então Diretoria de Parques Nacionais em 17 de março de 1940, simultaneamente à inauguração do Complexo de Edifícios Cívicos de San Carlos de Bariloche.
O edifício ocupa a ala leste do Centro Cívico. complexo de edifícios declarado Marco Histórico Nacional pela Resolução nº 1250/87, Decreto P. E. N. Nro. 325/89.

ACERVO

SALA DE HISTÓRIA NATURAL “RECONHECENDO A TERRA”

Uma viagem que nos informa sobre a história natural da Patagônia, com base em geologia, geografia e geomorfologia para alcançar ambientes naturais que constituem a sua flora, fauna e topografia.
O homem como um fator de modificação do ambiente natural, para o bem e para o mal.

SALA PRÉ-HISTÓRIA
O que chamamos de pré-história?
Diorama de um habitat pré-histórico.
Estratigrafia de um campo.
Descrição de culturas e indústrias: canais do centro, costa, Terra do Fogo e Fueguinos.

 SALA DE HISTÓRIA DOS POVOS ORIGINAIS:
Descrição das principais culturas nativas da Patagônia:
Yámana e Selk’nam da Terra do Fogo; Tehuelche, norte e sul da Patagônia; Mapuche, norte da Patagônia.
Referências ao seu habitat, economia, sociedade e visão de mundo.
Contatos interétnicos e história econômica.

PABELLON MORENO
Apresentação do perito Francisco P. Moreno.
Vida e trabalho.
Cientista, explorador e homem público.
Doação de terras para o primeiro Parque Nacional, referências históricas.

Museo de la Patagonia

SALA DE HISTÓRIA REGIONAL
Introdução, quadro histórico geral (do século XVI ao século XIX). Expansão da borda branca sobre a Patagônia.

CONQUISTA DO DESERTO:
o Rio da Prata, Juan Manuel de Rosas, Calfucurá, Adolfo Alsina, Julio A. Roca.
O posto avançado final nos territórios indígenas. Caciques de resistência.

O DESTINO DO DESERTO
Distribuição de terras.
Ocupação e colonização. Modelo econômico imposto.

VIAJANTES E EXPLORADORES
Reconhecimento do território. Explorações e pesquisas.
Assentamentos A questão dos limites entre a Argentina e o Chile.

SAN CARLOS DE BARILOCHE (1885-1950)
Primeiros colonos, imigrantes, a cidade.
Ramos Mexia e a cidade industrial. Emilio Frey, Primo Capraro.
A integração agro-mercantil com as cidades do sul do Chile.
A crise dos anos 30 e a necessidade de buscar alternativas econômicas.

PARQUES NACIONAIS
A doação de Francisco Moreno e as primeiras tentativas de especificar o primeiro Parque Nacional.
O Parque Nacional Nahuel Huapi. A gestão do Exequiel Bustillo.
Os primeiros projetos, a urbanização da cidade, o desenvolvimento do turismo.
A infra-estrutura pública desenvolvida pela DPN.

SERVIÇO

Endereço: Centro Cívico S/N – (8400) San Carlos de Bariloche – Río Negro – Argentina

Informações: http://www.museodelapatagonia.nahuelhuapi.gov.ar/index.html

Horário de Funcionamento :
Terça a sexta das 10h às 12h30 e das 14h às 19h. Sábados das 10h às 17h.

Fotos: Daniela Maciel

 

 

 

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.