Texto: Carla Silva e Daniela Maciel

Fotos: Daniela Maciel

A casa dos avós do escritor Guimarães de Rosa foi escolhida apara resguardar o acervo do filho mais ilustre de Cordisburgo. A recriação do ambiente da casa, da venda do avô e do quintal é tocante. A rústica simplicidade do interior de Minas no início do século XX nos ajuda a entender a alma do embaixador que gostava de se misturar aos tropeiros. Além dos itens originais lá estão obras de inspiradas nos livros de Guimarães e a boa prosa das bordadeiras na calçada.

Acervo

O Museu Casa Guimarães Rosa (MCGR), unidade vinculada à Superintendência de Museus do Estado de Minas, foi criado através da Lei nº 5775 de 30 de setembro de 1971. Sua criação foi idealizada no contexto de dois fatos distintos: o inesperado falecimento de Guimarães Rosa em novembro de 1967 e a criação do IEPHA, que materializava o sonho preservacionista, vigente à época, no âmbito do Estado.

Foi inaugurado em 30 de março de 1974, na casa onde nasceu o escritor e passou sua infância em Cordisburgo, cenário de experiências que irão servir da matéria-prima para a sua obra. Concebido como centro de referência da vida e obra do escritor, o Museu preserva um acervo de vários objetos, composto de registros de sua vida profissional como médico e diplomata, objetos de uso pessoal, vestuário, utensílios domésticos, mobiliário e fragmentos do universo rural descrito por Rosa, a exemplo de objetos de montaria e relacionados à atividade pecuária. Também está sob a guarda do Museu uma coleção de cerca de 700 documentos textuais entre os quais merecem referência os registros de caráter pessoal (certidões, correspondência recebida e emitida, documentos escolares), discursos, artigos em periódicos e originais manuscritos ou datilografados, a exemplo de “Tutaméia”, sua última obra publicada.

Na década de 1980, o Museu sofreu algumas intervenções onde foram organizados seus documentos textuais e executado um novo projeto expográfico, com a reconstituição do estabelecimento comercial mantido pelo seu Fulo, pai do escritor, que funcionava em um cômodo integrado à residência da família, como era de costume nas pequenas cidades do interior de Minas.

O Museu Casa Guimarães Rosa constitui hoje, referência importante para o turismo em Minas, integrando o roteiro tradicional de visitas à Gruta do Maquiné e arredores. Mas, para além desse turismo convencional, responsável por expressivo número de visitantes, o Museu vem se firmando, desde a década de 1980, como centro de atração de pesquisadores nacionais e internacionais, interessados em conhecer o seu acervo museológico, bem como o patrimônio cultural e ambiental disperso nas áreas urbana e rural do município de Cordisburgo, paisagem que deixou marcas indeléveis expressas na obra do escritor.

Além da Casa de Guimarães Rosa, Cordisburgo tem várias outros atrativos turísticos. Confira nossa matéria! 

COMO CHEGAR

Endereço: Avenida Padre João,  744 | Centro, Cordisburgo –  Minas Gerais
Dias e horários de funcionamento: De terça a domingo das 9 às 17 horas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.