“BH É UM OVO”: prosas sobre uma capital que é incrível gastronomicamente

Você sabia que Belo Horizonte é uma das cidades brasileiras mais ricas e criativas da gastronomia, marcada pela sua forma dinâmica, saborosa, envolvente, inquieta? Isso mesmo, de acordo com a Unesco, a capital mineira é tudo isso e muito mais. E já pensou em um ovo não só quando estão loucos para saboreá-lo? Já refletiu no potencial que apenas um ovo representa? Além de saboroso, ele é vida, acessível, versátil e nutritivo. Tudo isso apenas saindo daquela casquinha. Podemos assim compará-lo à nossa BH.

“Daí surgiu o BH é um Ovo, evento que será realizado entre os nos dias 23 e 24 de novembro, que tem como meta apresentar essa gastronomia movimentada e poderosa que temos por aqui, além de abordar questões como: a gastronomia no pós-pandemia: caminhos e soluções; BH: um cardápio turístico diverso a ser redescoberto; a capital em ressonância e diálogo com o interior; inventário da cultura afro-brasileira na cozinha mineira, etc,”, explica Marcelo Wanderley, produtor cultural e coordenador da plataforma Cumbucca, responsável pela realização do BH é um Ovo.

O evento conta com o patrocínio da Prefeitura de BH, por meio da Belotur e da Walls  e tem o apoio da FGM, Total Marcas, Nuuu Restaurante e do  Novotel. A entrada é gratuita, mas as vagas são limitadas. Os interessados podem retirar os ingressos no Sympla – link abaixo.

Wanderley explica que as dinâmicas serão apresentadas por fazedores da gastronomia e cultura alimentar, sejam cozinheiros, chefs, empresários, empreendedores, professores, jornalistas, pesquisadores e consumidores. Durante dois dias, o “BH é um ovo” vai proporcionar encontros, debates e experiências que irão demonstrar as potencialidades gastronômicas que Belo Horizonte já tem

Além dos painéis, o evento terá rotas de gastronomia, apresentação do filme “A Dona do Tacho”um ícone da gastronomia mineira. Filha de imigrantes italianos, a cozinheira  dona Nelsa Trombino dedicou a vida a divulgar a comida típica de Minas Gerais. A saborosa missão a levou a conhecer vários países pelo mundo. Fundadora do restaurante Xapuri, ela é incansável na defesa das tradições gastronômicas, como o uso do tacho de cobre. Um relato emotivo sobre a trajetória dessa personalidade da cultura alimentar brasileira.

Jantar beneficente

E no dia 1º de dezembro, o “BH é um Ovo” termina com um jantar beneficente especialmente feito pelos Chefs Leonardo Paixão, André Paganini, Ivo Faria, Guilherme Melo e Chefs Gui e Gabi.

Serviço Evento “BH É UM OVO”

Data: 23 e 24 de novembro de 2021

Local: Novotel Savassi – Av. do Contorno, 6583 – Savassi

Retirada de ingressos:

https://www.sympla.com.br/bh-e-um-ovo-prosas-sobre-uma-capital-gastronomica__1394807

PROGRAMAÇÃO – BH É UM OVO

Dia 23 de novembro, terça-feira

16h – A gastronomia no pós-pandemia: caminhos e soluções

Pedro Albuquerque (Órion Cloud Kitchens – Cozinhas para delivery)

Daniel Ribeiro (Redentor e Raiz Marmita Saudável)

Frederico Andrade (Grupo Chalezinho)

Simone Lopes (Sebrae)

Mediação: Ricardo Castilho (Prazeres da Mesa)

17h30 – Belo Horizonte: um cardápio turístico diverso a ser redescoberto

Márcia Martini (Opsófagos)

Felipe Thales (Viva Lagoinha)

Hanna Litwinski (Casal Cozinha)

Rafael Rocha (jornalista de gastronomia)

Mediação: Ana Gabriela (Belotur)

19h – Inventário da cultura afro-brasileira na cozinha mineira

Zora Santos (cozinheira e pesquisadora)

Padre Mauro (Muquifu – Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos)

Princesse Kambilo (Malewa Food)

Kelma Zenaide (Kitutu Gourmet)

Mediação: Paloma Nobre (Projeto Gororoba)

Dia 24 de novembro, quarta-feira

16h – A capital em ressonância e diálogo com o interior

Flávio Trombino (Xapuri)

Eduardo Avelar (Territórios Gastronômicos)

Eduardo Maya (Projeto Aproxima)

Edson Puiati (professor de gastronomia)

Mediação: Carol Daher (Revista Encontro / Fartura)

17h30 – Cozinha mineira autoral: sabores, ingredientes, inovações (contemporânea, ousada, provocativa)

Thiago Medrado (Restaurante Noca)

Juliana Duarte (Cozinha Santo Antônio)

Caio Soter (Restaurante Pacato)

Mediação: Rafael Rocha (jornalista de gastronomia)

19h – Cultura de boteco: preservação e fomento

Maria Eulália (Comida di Buteco)

Daniel Neto (Baixa Gastronomia)

Lucas Brandão (Agosto Butiquim)

Mediação: Heitor Silva (sommelier de cervejas)


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.