Sabará: terra de histórias e sabores

Texto: Daniela Maciel

Edição: Carla Silva

Todo mundo já sabe que amo Sabará. A tricentenária cidade, há 25 quilômetros de Belo Horizonte, oferece um grande patrimônio colonial preservado, uma gastronomia baseada nos saberes tradicionais e uma infinidade de “causos” que misturam imaginação e memória num maravilhoso amálgama de quem tem a alma cravada pelo ouro, a fé, o minério de ferro e a arte de fazer carinho através de cada prato ou sobremesa oferecidos.

Entre as lindezas dessa cidade que tem na Igrejinha do Ó, talvez, o seu principal cartão-postal, e na Igreja do Rosário, o meu local predileto, acaba de ressurgir o Cine Bandeirante, agora convertido no “Centro Cultural José da Costa Sepúlveda”. Tombado em 2001 pelo município, foi reformado e, após vários anos fechado, entregue ao público no dia 25 de abril.

A edificação, de 1959, foi toda construída por profissionais de Sabará, colocando a cidade em igualdade com as grandes salas de projeção de Estado. A estreia aconteceu com o filme “A Caldeira do Diabo”, segunda maior bilheteria dos Estados Unidos no ano de 1958.

A ideia é que o espaço abrigue apresentações de teatro, dança, música, oficinas artísticas além do tradicional cinema e ainda debates e palestras culturais em diversos segmentos, dentre outras atrações que envolverão diretamente a participação da comunidade sabarense.

 

Mas ir ao cinema costuma dar um fomezinha, né? E em Sabará só passa fome quem quer. A culinária tradicional da cidade tem chamado a atenção de grandes chefs que fazem releituras dos saberes tradicionais e ajudam a divulgar a cidade. Para moradores e turistas os festivais são uma grande oportunidade de provar delícias de ontem e de hoje com ingredientes como jabuticaba, banana e ora-pro-nobis.

A plantinha rústica e rica em proteínas é a estrela do fim de semana. Se o ouro promoveu a riqueza da cidade e dos barões e coronéis nos séculos XVIII e XIX, o ora-pro-nobis era a riqueza do povo pobre, que longe de poder ter uma alimentação variada e saudável, se valia da hortaliça para ter força para o trabalho pesado nas minas e fazendas.

FESTIVAL ORA-PRO-NOBIS

Entre os dias 3 e 5 de maio acontece o 22º Festival do Ora-pro-nobis, no distrito de Pompéu. Lá são expostas e comercializadas, deliciosas receitas, que tem o ora-pro-nobis como carro chef. O festival conta também com uma diversificada programação musical e cultural em um ambiente tranquilo e acolhedor. O ponto alto são as “cozinhas show”, com grandes chefs da cozinha mineira.

É um lugar para comer bem, descansar da correria da vida e “conversar fiado”, arte muito apreciada e praticada pela mineirada. Essa é uma dica preciosa pra quem quer entender um pouco a alma mineira e, principalmente, ir embora planejando plantar uma mudinha de ora-pro-nobis nem que seja num vasinho.

 

SERVIÇO:

Festival do Ora-pro-nobis
http://www.sabara.mg.gov.br/orapronobis/

Cine Bandeirantes:
Praça Augusto Dias, ao lado do Largo de São Francisco. Sabará

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.