Uma verdadeira imersão nas tradições, delicadeza, beleza, cultura e muita diversão aguardam os visitantes do 8º Festival do Japão em Minas, entre os dias 22 e 24 de fevereiro de 2019, no Expominas, em Belo Horizonte. É o maior evento do Estado sobre a cultura japonesa e vem sendo realizado na capital mineira desde 2012, com foco em propagar a cultura e possibilitar o intercâmbio cultural, social e econômico.

O tema desta edição aborda a história do Japão feudal, seus castelos e samurais. A exposição “História do Japão Feudal, seus Castelos e Samurais” vai apresentar os três castelos que receberam o título de Patrimônio da Humanidade pela Unesco, além dos tesouros nacionais e outros castelos famosos do Japão. Há também o destaque aos samurais, sua origem e seu rígido código de conduta, lealdade e disciplina, o Bushido. O festival conta com a exposição “Províncias Japonesas e Cidades Históricas Mineiras”, com detalhes e curiosidades das duas nações e a exposição de Ikebanas, os famosos e artísticos arranjos florais japoneses.

O evento busca aproximar o público mineiro da cultura japonesa, trazendo diversos grupos nacionais e locais. A programação se ampliar a cada ano e inclui apresentações culturais, oficinas de arte, concursos e áreas de experimentação, além dos estandes institucionais e empresariais, games, gastronomia e bazares.

Apresentações e oficinas

Entre as apresentações artísticas, grupos selecionados confirmaram sua presença para mostrar a beleza e força da música e tradição japonesas: Rio Nikkei Taiko (RJ), Grupo de Taiko Mitsuba (SP), Mitsuba Yosakoi Soran (Nipo Campinas – SP), Mitsuba Wadaiko (Nipo Campinas – SP), Pop Mania (Nipo Campinas – SP) e também o Rizumo Taisso (SP). Além disso, temos os grupos de taiko, danças tradicionais japonesas e artes marciais de Minas Gerais, entre outras atrações.

Grupo Mitsuba Yosakoi Soran Crédito: Megumi Assano

Este ano serão oferecidas 12 oficinas, com diversas turmas, dentre as modalidades: Taiko, Orinuno, Oshibana-ê, Washi-ê, Sumi-ê, Oshi-ê, Furoshiki, Mangá, Pipamodelismo e Ikebana. Os horários previstos são das 15h às 21h no dia 22/02 (sexta-feira); de 11h às 13h e das 14h às 20h30, no dia 23/02 (sábado) e das 11h às 13h e 14h às 16h, no domingo (24/02). As vagas são limitadas e as inscrições serão feitas por ordem de chegada. Para participar, basta procurar a área de oficinas no Expominas e se inscrever 10 minutos antes de cada atividade.

A oficina de Taiko ensina mais sobre essa espécie de tambor, que é um importante instrumento de percussão da cultura japonesa. Kirigami é a arte refinada de recortar papéis e Orinuno é a arte japonesa de dobradura de tecido. Oshibana-ê é uma técnica de desidratar flores, folhas, galhos, frutas e verduras mantendo sua textura e cor originais com o objetivo de transformá-las em trabalhos artísticos e a técnica de Washi-ê utiliza papel produzindo artesanalmente no Japão para formar e construir desenhos.

Sumi-ê significa tinta preta e ê significa pintura, desenho e traduz-se como a arte de produzir pinturas singelas com temas da natureza e do cotidiano. O Oshi-ê consiste em compor figuras como flores, pássaros e personagens através de desmembramentos de várias partes as quais são recortadas em papelão forrado com espuma e algodão. Já o Furoshiki é a técnica tradicional de embrulho japonês, uma modalidade eco-friendly pela reutilização de tecidos. O Mangá, mais conhecido entre os brasileiros é uma técnica de desenho para quadrinhos, assim como o Pipamodelismo é a técnica de criação de pipas. Por fim, a Ikebana é a arte japonesa de arranjos florais.

 

Atrações

Uma das atrações mais apreciadas de todas as edições é a famosa Cerimônia do Chá. É uma manifestação que pode ser considerada a síntese de todas as expressões culturais do Japão, onde se encontram os conceitos contemplativos e meditativos do zen, entre outros. Esta cerimônia vai muito além de uma simples degustação de chá, sendo um verdadeiro caminho praticado para despertar e conscientizar os valores humanos. Seus princípios são a harmonia, respeito, pureza e tranquilidade.

Várias outras áreas permitem a participação do público como a Experimentação de Origami (a tradicional arte japonesa de dobradura de papel criando quaisquer figuras e objetos com as dobras “geométricas” de papel), a Experimentação de Baseball (com detalhes sobre esse esporte tão popular no Japão) e também  a Experimentação de Artes Marciais Japonesas, onde quem visitar o festival poderá ver e aprender um pouco sobre os diversos tipos de artes marciais com professores e praticantes de alto nível.

Outra área concorrida que envolve o público é o campeonato de hashi. Em poucos minutos, quantos grãos de feijão uma pessoa consegue pegar usando os hashis, os famosos palitinhos japoneses que funcionam como talheres? Além de habilidade, é preciso saber como segurar e usar corretamente os palitos ou o feijão pode escapar e essa é a premissa do campeonato, que movimenta o público do festival e rende muita diversão.

A Área de Cultura Pop Japonesa terá diferentes atrações para o público como a exposição inédita de “Hobby Japan- Action Figures, Estátuas e Plastimodelismo” e a Exposição de Ilustrações de Shojo Mangá. O espaço também terá um local dedicado aos quadrinhos, apresentações de grupos cover e de J-pop, karaokê de músicas de anime e games.

O concurso Miss Nikkey Minas Gerais 2019 será realizado no sábado (23/02), às 19h30, durante o Festival do Japão em Minas. Seu foco é promover a integração das descendentes japonesas de diferentes cidades, divulgar a beleza nipo-mineira e também preservar e exaltar a cultura japonesa. Nossas misses tem destaque no cenário nacional. As inscrições são gratuitas. Podem participar candidatas com ascendência japonesa de qualquer grau, inclusive mestiças, de 15 a 30 anos de idade.

Também neste ano temos o concurso Harajuku Fashion. Harajuku é o bairro da moda de Tóquio. Nas suas ruas principais encontram-se tanto as butiques mais prestigiosas do mundo, como algumas lojas que uma pessoa desavisada não saberia o que pegar se a roupa fosse grátis. É um fenômeno tratado acima do conceito de moda, como um estilo de vida para homens e mulheres. A ideia do concurso é a de trazer exemplos do estilo que faz a cabeça dos jovens japoneses.

Já o concurso de Cosplay será realizado no domingo (24/02), às 16h30. Seu objetivo é estimular a prática e mostrar aos presentes um pouco dessa tendência símbolo da cultura pop japonesa. Os troféus serão entregues para 1º, 2º e 3º lugares. Cosplay é a abreviação do termo em inglês costume play (costume/fantasia+play/ brincar), podendo ser traduzido como “representação de personagem a caráter”. Os jovens se fantasiam de personagens oriundos de animes, mangás, quadrinhos, jogos ou ainda de grupos musicais. A diferença do cosplay para uma fantasia comum é que a pessoa incorpora a personagem em todos os aspectos, reproduzindo seus movimentos e trejeitos. Os participantes (ou jogadores) dessa atividade chamam-se, por isso, cosplayers.

Ações de Responsabilidade Social

A organização do Festival desenvolve diversas as ações de promoção à cidadania, como a disponibilização de 1.600 ingressos gratuitos para alunos de escolas públicas municipais da cidade de Belo Horizonte. Além disso, serão distribuídas mudas de cerejeiras, como forma de fomento à sustentabilidade, por meio de sorteio entre os participantes.

Além da infraestrutura acessível do Expominas, o evento conta com um intérprete de libras, que permanecerá durante toda a programação no palco principal, e também haverá um painel em braile para deficientes visuais conhecerem e acompanharem as mais de 30 atividades previstas.

Assim como na edição passada, haverá coleta seletiva de lixo produzida pelo evento. As novidades da 8ª edição são a divulgação do “Projeto Piloto de Reciclagem de Veículos”, do CEFET de Minas Gerais, que foi empreendido com tecnologia japonesa e desenvolvido em parceria com o Consulado.

Brumadinho

Durante a abertura do festival haverá homenagem dirigida à duas corporações que estão a frente do resgate das vítimas de uma das mais marcantes e recentes tragédias de Minas Gerais. Pela atuação exemplar e extremamente humana na condução dos trabalhos referentes à tragédia pelo rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, a Agência de Cooperação Internacional Brasil-Japão – JICA, o Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro, o Consulado Geral Honorário do Japão em Belo Horizonte e a Associação de Cooperação em Cultura e Tecnologia Brasil-Japão – ACCTBJ, sentem o dever de prestar uma justa homenagem a 6 ex-bolsitas da JICA, integrantes das Corporações PMMG e CBMMG.

SERVIÇO

8º Festival do Japão em Minas – edição 2019

Data:22 a 24 de fevereiro de 2019

Horários:Dia 22/02 – sexta-feira, das 14h às 22h

Dia 23/02 – sábado, das 10h às 22h

Dia 24/02 – domingo, das 10h às 19h

Local: Expominas – Avenida Amazonas, 6200 – Gameleira – Belo Horizonte – Minas Gerais

Ingressos: R$18,00 inteira, R$9,00 meia-entrada – por dia de evento, vendidos na portaria

Mais informações: http://www. festivaldojapaominas.com.br

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.